Archive for Março, 2007

h1

A criatividade…

Março 31, 2007

 … alimenta-se da curiosidade, mas só se torna visível quando partilhada. O que seria dela sem emoção?

h1

A tradição, significados

Março 31, 2007

Grande decoberta: a palavra tradição também é um termo jurídico… e esta? 

h1

linka ou não linka?

Março 23, 2007

Eis uma notícia interessante, gosto, gosto sim, uma biblioteca acessível?

Fica o link

Europeana, la bibliothèque sur la toile
LE MONDE | 22.03.07

©

h1

Março 21, 2007

Pura poesia ao alcance do olhar: a Lua e um planeta distante a que chamamos estrela.  

h1

Regressar

Março 17, 2007

 

 

 

Quando ficamos muito tempo longe pode ser difícil regressar, pensou interrogando-se em silêncio ao chegar à avenida D. Carlos I.

 Logo pela manhã um céu, com vestígios da passagem de avião numa longa e perfeita linha, fê-la desejar escrever no horizonte. Isso mesmo, derramar frases, semeá-las na esperança que ganhassem asas e prolongassem o fim-de-semana. No entanto, essa estranha magia não ocorreu e o dia estava a chegar ao fim.

 

Despiu o casaco, estava frio mas a caminhada tinha sido longa. Percorreu mais uma centena de metros, em silêncio; ao seu lado um casal comentava animadamente que nada estava igual, aquela rua já não era a deles. Apeteceu-lhe dizer-lhes que as ruas não são de ninguém, apenas são, existem… porque desejamos caminhar nelas, até porque se tratava de uma avenida. O rapaz vestido de azul  insistiu e acrescentou com ar de proprietário descontente…pois que no outro lado da rua estava uma casa parcialmente demolida… pois que a loja do Sr.Manuel estava fechada. Apenas sorriu e pensou como as mudanças podiam vir a ser novos pontos de partida: aquela avenida tinha casas em construção, gente, vidas. Continuou a caminhar e observou os movimentos da cabeça e das mãos do rapaz que barafustava, numa animada conversa com a sua companheira. Não soube o que diziam, abrandou o passo e perdeu-os de vista.

 Enquanto caminhava o seu pensamento esgueirava-se nos telhados das casas, na roupa estendida, no brilho dos olhos da garota que pedia um chocolate ao pai.

Continuou pela rua fora. Sentiu que estava num local estranhamente familiar. Uma leve dor nos músculos das pernas tornou-a consciente do esforço solicitado ao seu corpo e da urgência em recuperar energia.

Acontece regressar a um local que deixámos há muito tempo?

 -Difícil é privarmo-nos do que nos dá prazer.

h1

Pausa

Março 4, 2007

Apenas uma palavrinha para dizer que vou estar ausente deste blogue…

Um abraço a todos os amigos virtuais que tiveram a paciência de estar nas mesmas casas.

 Fica um excerto de um poema de Jean-Max Rivière ( cantado pela Françoise Hardy):            

Beaucoup de mes amis sont venus des nuages
Avec soleil et pluie comme simples bagages
Ils ont fait la saison des amitiés sincères
La plus belle saison des quatre de la terre